4 comentários:
De sofia castelo a 13 de Maio de 2011 às 18:22
este concurso podia ser interessante. no entanto, com um primeiro prémio de 250Euros, passa a ser um insulto


De Vergílio Borges a 22 de Julho de 2011 às 08:36
Credo, a presunção dos arquitectos já vai tão longe? Então pensar sobre a cidade é um insulto? Minha senhora, pensar a cidade do Porto é um privilégio. Se lhe dão uma plataforma para divulgar as suas ideias já se devia sentir com sorte. E ainda por cima ainda lhe dão 250 euros caso vença. Está tudo perdido realmente... Quanto é que era bom para si? O valor do euromilhões? A arquitectura não é um concurso. (embora realmente muitas vezes pareça)


De sofia castelo a 22 de Julho de 2011 às 14:26
Entre 250 euros e o euromilhoões vai alguma coisa não? como por exemplo valores de prémios normais para um concurso como este. A arquitectura é uma profissão e como tal o seu trabalho deve ser justamente remunerado. Eu sei que há muitas campanhas para tentar convencer os jovens arquitectos que ser arquitecto é tão bom que eles ainda deviam pagar por isso. O grave é eles caírem na esparrela


De Vergílio Borges a 23 de Julho de 2011 às 12:09
Se eu bem percebi, este é um concurso de ideias. Podiam participar arquitectos, advogados, professores, engenheiros, futebolistas, desempregados, donas de casa, estudantes, etc. Esse parece ser outro problema dos arquitectos, assumirem que a discussão da cidade apenas lhes diz respeito, e acharem que não devem dialogar nem dar espaço aos restantes intervenientes para falarem sobre ela. O que se pedia aqui não era "trabalho de arquitectura". Pelo que a mim me diz respeito o concurso fazia sentido inclusivamente sem prémio, porque já que não há a possibilidade de criar no município espaços de debate sobre as transformações da cidade, que incluam os cidadãos, então este tipo de iniciativas vem tapar este buraco e fazer um verdadeiro acto de cidadania. Mas isto é a minha opinião, a Sofia terá a sua, mais orientada para a vertente financeira, mas veja bem os parâmetros do concurso, porque realmente o que se pedia não era nada do que disse, a não ser que trabalho de arquitectura signifique para si fazer uns power points com uma ideia abstracta para um espaço... Eu, que tenho amigos arquitectos, posso dizer-lhe que não é.


Comentar post